Bocha para Casais
De 23 de setembro a 5 de novembro de 2022

Regulamento

14º

 Campeonato Municipal

de Bocha para Casais

 

 

Schroeder - 2022

 

 

 

Regulamento Geral e Técnico

 

 

 

REGULAMENTO GERAL E TÉCNICO

 

O Campeonato Municipal de Bocha para Casais – Schroeder 2022 é uma promoção do Município de Schroeder, Secretaria de Educação, Cultura, Esporte e Lazer e realizado pela Diretoria de Esportes e Lazer.

É de competência da Diretoria de Esportes e Lazer, que através de seu representante, com suas atribuições, a organização e coordenação deste evento, conforme determinações abaixo.

DISPOSIÇÕES PRELIMINARES:

Art. 1º - Este regulamento é o conjunto das disposições que regem o Campeonato Municipal de Bocha para Casais - Schroeder 2022, os quais não têm nenhum vínculo com as entidades diretivas do desporto estadual e nacional, e obriga aos que com ele tenham relação a sua total obediência.

Art. 2o - São considerados conhecedores dos documentos que regem o evento (Regulamento Geral e Técnico, Código Brasileiro de Justiça Desportiva, Regulamento do Complexo Esportivo e Demais Centros/Locais Esportivos, Notas Oficiais, Comunicados, entre outros), todas as pessoas físicas e jurídicas vinculadas ao Campeonato Municipal de Bocha para Casais – Schroeder 2022, que assim sendo, se submeterão sem reservas a todas as suas determinações e disposições e as consequências que, pelo seu não cumprimento, dele possa emanar. Os atletas em especial, inscritos na ficha de inscrição, por intermédio dos dirigentes/comissão técnica, automaticamente declaram ter pleno conhecimento dos documentos acima citados e das regras do evento/modalidade, bem como estarem em perfeitas condições físicas e mentais que lhes permitam a prática do esporte.

Art. 3º - É de competência da Diretoria de Esportes e Lazer, interpretar este Regulamento, zelar por sua execução e fiel cumprimento, além de resolver os casos omissos.

Art. 4º - O Campeonato Municipal de Bocha para Casais – Schroeder 2022 – tem como finalidade desenvolver o intercâmbio esportivo entre equipes; proporcionar boas relações entre dirigentes, técnicos e atletas; estabelecer uma união segura entre os desportistas e o poder público; exaltar a prática desportiva como instrumento imprescindível para a formação da personalidade, fazendo surgir novos valores no panorama desportivo.

DA REALIZAÇÃO:

Art. 5º - O Campeonato Municipal de Bocha para Casais – Schroeder 2022, terá seu início previsto para o dia 24 de Setembro de 2022. As rodadas, datas e horários de acordo com a tabela de jogos.

DA INSCRIÇÃO E PARTICIPAÇÃO DAS EQUIPES E ATLETAS:

Art. 6º - Toda equipe pagará uma taxa de inscrição no valor de R$ 100,00 e Assinatura do Termo de Garantia. Parágrafo Único: O Termo de Garantia substitui o cheque caução deste evento. Seus dados deverão ser preenchidos e o mesmo assinado pelo responsável da equipe. O termo de garantia é uma autorização à organização para a emissão de boleto bancário no valor de R$ 400,00 (quatrocentos reais). Caso ocorra alguma penalidade também se executa o termo de garantia.

 

Art. 7º – A participação da equipe no Campeonato Municipal Bocha para Casais dar-se-á mediante a Ficha de Inscrição fornecida pela Diretoria de Esportes de Schroeder, no qual consta Nome Completo, Nº do Registro Geral (CI) e Assinatura, sendo preenchida de forma legível e sem rasuras. Nela poderão ser relacionados no mínimo 02 (dois) e no máximo 04 (quatro) atletas, conforme § 1º. A mesma deverá ser entregue até o Congresso Técnico.

§ 1º- Será considerado casal: a) homem e mulher com relacionamento estável; b) vínculo familiar como: b.1 - pai/mãe com filho(a), sendo estes solteiros/viúvo(a) e/ou vinculados/“tutores”; b.2)avô(ó) com neto(a); b.3- irmãos.

§ 2º- Toda equipe poderá completar sua Ficha de Inscrição, inscrevendo junto à coordenação novos atletas até o início de seu primeiro jogo, desde que não ultrapasse o número máximo de 04 jogadores. O atleta que estiver inscrito e assinar por mais de uma equipe será eliminado imediatamente do campeonato.

§ 3º- A equipe que desejar alterar qualquer membro(s) da Comissão Técnica deverá dar entrada oficialmente por escrito na Diretoria de Esportes, no 1º dia útil da semana independente do andamento da competição.

Art. 8º – Todos os membros constantes na Ficha de Inscrição (Atletas e Comissão Técnica) somente podem ser inscritos e participar do Campeonato a partir do momento em que se incluam em pelo menos 01(um) dos critérios abaixo descritos e no mínimo sessenta (60) dias da data marcada para início do campeonato/ 1ª rodada, ou seja, 26 de Julho de 2022. 

Os Critérios são:

1- Ser domiciliado no município de Schroeder, conforme definição do Art.70 do Código Civil Brasileiro.

2- Exercer atividade laboral no município de Schroeder;

§ 1º - Caso algum membro inscrito deixe de atender aos critérios determinados para a inscrição e participação no Campeonato, durante o transcurso da competição, o mesmo não mais poderá fazer parte da equipe. No caso de retorno posterior, segue-se o mesmo critério.

§ 3º - Para efeitos deste regulamento, define-se como domicílio civil:

I – O domicílio civil é o lugar em que a pessoa ordinariamente exerce seus direitos e cumpre suas obrigações da vida civil, inclusive quando chamada a fazê-la por via judicial, uma vez que o domicílio decorre a fixação da competência de foro para julgamento de ações em que a pessoa figura como parte. O domicílio da pessoa natural é o lugar onde ela estabelece a sua residência com ânimo definitivo.

§ 4º - Para efeitos deste regulamento, entende-se como atividade laboral:

I - Aquela exercida por trabalhador registrado em Carteira de Trabalho e Previdência Social, por empresa sediada no município de Schroeder, ou que aqui tenha sua filial;

II - Aquela exercida por empresário, cujo contrato social da empresa informe a cidade de Schroeder como sua sede, sendo necessária também à apresentação de cópia do alvará de licença da empresa, referente ao ano em exercício.

III - A atividade exercida por representante ou qualquer outro profissional autônomo ou liberal, comprovada por meio da apresentação de cópia do alvará de licença da empresa, referente ao ano em exercício;

IV – A atividade exercida por produtor rural, comprovada por meio da apresentação de cópia da Nota de Produtor Rural, referente ao ano em exercício.

§ 3º - Caso seja constatado qualquer tipo de fraude documental ou falsidade ideológica referente às informações prestadas a título de atendimento aos critérios de participação dos atletas, a Comissão Organizadora do Evento promoverá imediatamente a notícia do crime junto às autoridades competentes, para fins de apuração de eventual cometimento de atividade tipificada como crime, além de promover as sanções administrativas e cíveis cabíveis.

Art. 9º - Todos os inscritos e participantes no jogo serão identificados pelos documentos originais: CARTEIRA DE IDENTIDADE, CARTEIRA DE MOTORISTA (Com Foto), Carteira dos Conselhos Regionais, Passaporte, EMFA e como última opção Carteira de Trabalho. Em outros casos, somente será aceito Boletim de Ocorrência com data limite de 30 dias do ocorrido.

Art. 10 - A equipe que não se apresentar em cancha com o número mínimo regulamentar de atletas em condições de jogo, (02/dois atletas), salvo motivo de força maior, público e notório, a critério e julgamento/ parecer da Diretoria de Esportes e Comissão Disciplinar, será vedada para o início da sua partida e considerada perdedora por "W x O.".

§ 1º- Em caso de "W x O." além do ponto ganho, para efeito de contagem será conferido o placar de 24 x 00 a equipe presente, que deverá estar na cancha com o número regulamentar de atletas, uniformizada e apta para a partida. Constatando-se a ausência das duas equipes, será configurado o duplo "W x O.", consignando-se uma derrota pelo placar de 24 x 00, para ambas as equipes.

§ 2º- A sansão cabível a equipe considerada perdedora por “W x O”, citado no Artigo anterior será a aplicação do Termo de Garantia no valor de R$ 400,00 (quatrocentos reais). Este pagamento deverá ser efetuado impreterivelmente até às 17h do 3º dia útil após o ocorrido. Caso não ocorra o devido pagamento, a equipe não estará apta a continuar no campeonato e será caracterizado Abandono.

§ 3º- Os atletas que comparecerem e assinarem a súmula no caso deste artigo, serão isentos de suspensão de abandono tratada no parágrafo anterior. Os demais atletas serão enquadrados e penalizados de acordo com o Art. 11.

Art. 11 – Será caracterizado Abandono, ou não pagamento do W x O” e/ou a ocorrência de 02 (dois) “W x O”, seguidos e/ou intercalados.

§ 1º- Neste caso de Abandono, a Coordenação do Evento, juntamente com a Comissão Disciplinar penaliza a equipe excluindo-a do Campeonato e de outros eventos promovidos pela Diretoria de Esportes, no período de 02(dois) Anos. Pena esta extensiva a todos os membros inscritos na equipe infratora.

§ 2º- Caracterizado o Abandono da Equipe, não haverá recuperação do ponto perdido para as equipes que já jogaram com a eliminada, as equipes que não jogaram com a eliminada, receberão o ponto dessa partida, desde que compareçam com o número mínimo de jogadores e assinem a súmula.

Art. 12 - Se no transcorrer de uma partida, uma das equipes, ficar reduzida em número inferior ao número legal mínimo de atletas segundo as regras do campeonato (02 /dois atletas), será determinado o seu término.  Independente dos demais sansões será consignado o ponto de vitória para a equipe que permanece em condições de jogo e placar será de 24 x 00. Para fins de classificação das equipes no caso acima o resultado segue o mesmo critério.

Art. 13 - Em casos especiais, vinculados aos Art. 10, 11 e 12 a Coordenação do Evento juntamente com Comissão Disciplinar avaliará a situação e a equipe será submetida a julgamento especial.

Art. 14 - Nenhum atleta apenado por tumulto generalizado, agressão física e ou agressão moral pela Diretoria de Esportes de Schroeder ou por qualquer Entidade Municipal Gestora do Esporte nos municípios de Corupá, Guaramirim, Jaraguá do Sul, Massaranduba, Barra Velha e São João do Itaperiú (AMVALI), além da Liga Jaraguaense de Futebol e Futsal, poderá participar do Campeonato Municipal de Bocha para Casais, enquanto estiver com sua punição em vigor.

§ 1º - Se for constatado que o atleta inscrito estiver punido a equipe poderá substituí-lo, porém deverá fazê-lo antes do início do campeonato.

§ 2º - É de responsabilidade de cada equipe verificar se os atletas de sua equipe estão punidos. Na região da AMVALI a Data de Publicação é data de referência do início da penalidade.

DISPOSIÇÕES TÉCNICAS:

Art. 15 - O Campeonato Municipal de Bocha para Casais – Schroeder 2022 - será regido pelas regras dispostas e aprovadas neste Regulamento, baseando-se na Regra Oficial de Bocha da CBBB e FCBB (Confederação Brasileira e Federação Catarinense de Bocha e Bolão). Os responsáveis e capitães de cada equipe possuem a função de repassar as normas previstas a todos os inscritos na ficha de inscrição.

Art. 16 - As rodadas serão realizadas de acordo com as datas e horários estabelecidos em tabela.

Art. 17 - Para o bom andamento e desenvolvimento do esporte e dos jogadores em geral, recomenda-se o uso do “bom senso” durante a prática desportiva, bem como durante suas atividades diárias.

Art. 18 - As partidas serão dirigidas por árbitros e mesários designados pela Diretoria de Esportes.

§ 1º - Os jogadores devem ter respeito absoluto pelo árbitro e pelos adversários. Os jogadores devem atuar com o mais genuíno espírito esportivo, antes, durante e após cada partida.

§ 2º - As decisões de interpretação do árbitro são inapeláveis quando tomadas em jogadas de apreciação visual.

§ 3º - Qualquer irregularidade detectada pelo árbitro deverá ser registrada em súmula para posterior avaliação. Em caso de infração durante a partida, o arbitro avalia a penalidade a ser aplicada.

§ 4º - O árbitro marcará de modo diferente sobre a cancha de jogo, as bochas de cada equipe e o bolim Quando ocorrer a necessidade de verificar de distância/ medida, o ponto de união desta marcação será também o ponto de referência nesta ação.

Art. 19 - Haverá tolerância de 10 min. para o início do primeiro jogo de cada rodada e as partidas seguintes serão de acordo com a tabela e iniciadas após o término do jogo anterior, bem como a partir da liberação da mesa e da cancha alisada e marcada. Caso um jogo termine antes do horário estabelecido para o início do próximo, este se inicia de acordo com o horário da tabela, ou então, em comum acordo entre as equipes da próxima partida.  

Art. 20 - As bochas utilizadas para a realização das partidas do campeonato serão fornecidas pela Diretoria de Esportes. O árbitro possui a função de verificar se bochas estão em condições de jogo e colocadas nas cabeceiras/ cochos.

Art. 21 – As canchas, nas quais serão realizados os jogos, pertencem aos clubes/equipes participantes inscritas, sendo sua responsabilidade deixá-las em condições de uso/jogo, inclusive marcadas, iluminadas, cercadas e com portões restringindo o acesso.

Parágrafo Único: As canchas indicadas para a realização do campeonato serão vistoriadas pela diretoria de esportes e lazer. Constatando que não possuem condições de uso/jogo, será estipulado um tempo limite para se adequar às exigências do regulamento.

Art. 22 - Todas as equipes poderão realizar treinos durante a semana na cancha que antecede a rodada, assim como os finalistas possuem o direito de treinar na cancha da final. A equipe deve mediar diretamente com a cancha a(s) data(s) e o horário(s) do(s) treino(s). As equipes não têm o direito ao reconhecimento e ao passeio na realização das rodadas/jogos.

Art. 23 – Para a realização das partidas os jogadores devem usar no mínimo camisas iguais como uniforme padrão, identificando assim a equipe, bem como calçado de sola lisa, podendo ainda jogar de chinelo ou descalço.

§ 1º- Caso uma equipe se apresente para a partida sem a devida uniformização, esta não poderá usar o uniforme do adversário, independente deste ter ou não jogado naquela rodada. Mediante este fato será considerada perdedora do ponto (01 ponto) válido em favor do adversário e o placar anotado será de 24 x 00.

 § 2º - O jogador que não estiver com o calçado apropriado ou se negar a jogar descalço será solicitado para que seja substituído. Não possuindo atletas reservas a equipe será considerada perdedora do ponto (01 ponto) válido em favor do adversário e o placar anotado será de 24 x 00.

Art. 24 – Cada equipe poderá executar um total de 02(duas) substituições durante o transcorrer de cada partida. O atleta substituído não poderá retornar ao jogo.

Art. 25 - Na cancha, somente será permitida a presença de atletas, os quais deverão permanecer durante as jogadas dentro das linhas demarcatórias. Outras pessoas, para orientar ou sob qualquer pretexto, não poderão entrar na cancha de jogo.  

Art. 26 - No Campeonato Municipal de Bocha para Casais, será permitido o uso da tabela nas jogadas de ponto e de rafa e se o bolim for bolado/bochado e ficar no fundo da cancha permanece em jogo. Ficando depois do risco de 1,00 ou 1,50 o jogo é livre. Na jogada livre os atletas ao largar a bola, jogam da mesma maneira conforme o Art. 30.

Art. 27 - Antes do início de cada jogo, o responsável encaminha todos os jogadores aptos que iniciarão a partida para assinar a súmula e designa o capitão da equipe junto a coordenação e ao árbitro da partida.

§ 1º - Somente o capitão poderá seguir/acompanhar andando a finalização da(s) sua(s) jogada(s) e de seus companheiros, bem como, junto ao árbitro visualizar o jogo. O capitão após visualizar o jogo poderá repassar as informações ao próximo atleta. O Capitão deverá permanecer próximo ao árbitro, especialmente na jogada do aceite, medição e decisões diversas.

Art. 28 - A partida será vencida pela equipe que primeiro totalizar o número de pontos estipulados para cada jogo, ou seja, 24 pontos. A pontuação obedecerá a norma de 2 (dois) pontos para cada bocha da mesma equipe mais próxima do bolim, em comparação às bochas da equipe adversária. O jogo de bochas sempre será realizado na área oposta, a partir da meia cancha ao qual se encontram os atletas, sendo necessário que o bolim e as bochas ultrapassem completamente os riscos marcatórios, consistindo ainda de:

a) Jogada a ponto;

b) Jogada de rafa ou de tiro/bochada. Será válido o lançamento se o jogador declarar ao árbitro o tipo de lançamento que se propõe a efetuar e qual o objeto que pretende atingir (bocha ou bolim). Em caso de alteração/mudança esta deverá ser declarada antes do início da jogada, caso contrário à jogada será declarada irregular, aplicando-se a regra da vantagem;

c) Em cada jogada (ponto, rafa ou tiro/bochada) as equipes buscam a marcação do número máximo de pontos possíveis;

d) No andamento do jogo, a posição/localização do bolim é a referência e defini qual jogada/jogo (rafa / livre) esta valendo, não podendo ser utilizada outra jogada mesmo se a bocha estiver na posição de rafa ou livre. Só será aceito a jogada permitida pelo bolim (salvo orientações específicas relatadas no próprio regulamento).  Em caso de retorno do bolim da posição livre para a rafa segue-se o mesmo critério.

e) Os jogadores devem permanecer na cabeceira desde o início da jogada até o término do lançamento das bochas de cada jogador.

f) O jogador deve ficar na cancha, podendo conversar desde que não atrapalhe o andamento do jogo.

g) As bochas que vierem a ser desclassificadas no decorrer de cada jogada devem ser colocadas pelo árbitro na cabeceira oposta à saída, em local apropriado (cocho).

h) Caso um jogador faça uso de bocha do adversário, esta deverá ser devolvida à saída, desclassificando-se uma bocha da equipe infratora.

i) Caso um jogador faça uso de uma terceira bocha da sua equipe, esta será desclassificada. Se a jogada não for percebida pelo árbitro e o jogo der prosseguimento, a jogada será considerada válida.

j) O jogo em si, bem como a trajetória da bocha jogada não pode ser interrompida ou desviada de forma intencional/ proposital pelos jogadores, será penalizado com a pontuação máxima da jogada (08 pontos) em favor da equipe adversária e o atleta é excluído do jogo, devendo ser substituído. Caso já tenha efetuado todas as substituições ou não possua atletas reservas para atuar, a equipe será considerada perdedora do ponto (01 ponto) válido em favor do adversário e o placar anotado será de 24 x 00.

k) Caso ocorra no jogo uma infração (ex: mexer as bochas) em momentos de medição, a equipe infratora é penalizada com os pontos válidos na jogada sem a exclusão de atleta. Caso seja comprovado/verificado que não houve infração a ser penalizada o árbitro recoloca as bochas nas devidas marcações e o jogo segue normalmente. O árbitro da partida avalia a penalidade a ser aplicada.

Art.29 - Regra da Vantagem: 

a) A regra da vantagem consiste no fato de que toda bocha jogada a ponto, rafa ou tiro(bochada), incluindo todas as suas irregularidades, podem ser consideradas válidas, ou não, de acordo com critério da equipe adversária, ou seja, dependendo da aplicação, ou não, da regra da vantagem.

b) Mesmo que o tiro (bochada) ou a rafa sejam irregulares, deverá ser observada a regra da vantagem, salvo se a bocha tocar a cabeceira sem fazer jogo em sua trajetória de ida, o que implicará na anulação da bocha.

Art. 30 - A cancha terá as seguintes marcações/linhas a partir dos fundos em ambos os lados:

a) Linha de 1,0 metros ou 1,5 metros – limite máximo para colocação do bolim em jogo e local onde permanecem os jogadores e observam tanto o jogo em si, como o retorno de bolas jogadas;

b) Linha de 4,0 metros para realizar a jogada de pontos e para jogada de rafa. Ao realizar a jogada de ponto e de rafa o atleta poderá pisar na linha com pé de apoio, desde que não ultrapasse todo o pé e ultrapassar com o pé que estiver no ar no momento do lançamento (rafa).

c) Linha de 6,0 metros para lançamento da bocha de tiro (bochada). Ao realizar o lançamento da bocha de tiro (bochada), o jogador deverá levantar a bola e realizar a jogada (sem bater na lateral da cancha antes de acertar o alvo indicado), soltando à mesma antes dos 6 metros, o atleta poderá pisar na linha com pé de apoio, desde que não ultrapasse todo o pé e ultrapassar com o pé que estiver no ar no momento do lançamento

d) Linha do meio da cancha (divisória da metade da cancha).

§ 1º - O não cumprimento da alínea a), b) e c) resulta em aplicação da regra da vantagem (art. 29). Exceto na alínea c) a bola de tiro(bochada) que atingir a lateral parede, poste ou outro objeto antes de atingir o alvo indicado será queimada. Neste caso não se aplica a regra da vantagem.

Art. 31 – O árbitro inicia a partida após o sorteio entre as equipes. O sorteio dará a uma equipe o direito de lançar o bolim e a primeira bocha, a partir de onde se dará início à partida. Nas jogadas subsequentes, o bolim e a primeira bola deve ser lançado pela equipe que tenha marcado ponto na jogada anterior.

§ 1º - O bolim estará em jogo a partir da linha do meio da canha e não ultrapassar a linha do 1,0 metros ou 1,5 metros (fundos da cancha), Na lateral deve estar afastado a uma distância igual ou superior a 25 cm (necessitando a arbitragem o afasta na medida certa). O bolim deve ser lançado e não carregado por um dos jogadores com mando de jogo. Em um lançamento irregular (queima) do bolim a equipe perde o direito ao mesmo e o adversário joga o bolim e a primeira bola (exceto na lateral conforme consta acima).

§ 2º - Quando o bolim que for bolado/bochado e espirrar e retornar, ultrapassando a linha da metade da cancha, a equipe que realizou a jogada perde o direito ao mesmo e o jogo reinicia na cabeceira oposta e ninguém marcará ponto.

§ 3º - Durante a partida todas as bochas jogadas devem ultrapassar a linha do meio de cancha, caso contrário será considerada inválida a jogada e a bocha queimada. A mesma equipe faz nova jogada com outra bocha. .

Art. 32 - Saída de bolim ou bocha: a) O bolim ao sair da cancha de jogo, encerra a(s) jogada(s). A equipe que realizou a jogada perde o direito ao mesmo e o jogo reinicia na cabeceira oposta e ninguém marcará ponto.

b) A bola ao sair da cancha de jogo estará queimada e o jogo segue normalmente conforme as regras.                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                      

Art. 33 – A equipe/atleta na vez de jogar terá 30 (trinta segundos) cronometrados, para fazer a jogada. Passados os 30” (trinta segundos), atleta / equipe, serão punidos com a bola queimada.

Art. 34 - Jogada a ponto:

§ 1º - A jogada a ponto consiste em lançar a bocha em direção a um ponto de referência na cancha de jogo.  

§ 2º - Se duas bochas adversárias estiverem equidistantes do bolim, a equipe que tiver provocado o empate deverá jogar novamente até obter o ponto ou esgotar as suas bochas. Se ao final da jogada persistir o empate, a jogada será anulada e uma nova jogada deverá ser reiniciada na outra cabeceira. A equipe que realizou a última jogada perderá o direito de jogar o bolim.

§ 3º - Toda bocha jogada a ponto que tocar diretamente a cabeceira (fundo da cancha) permanece em jogo.

Art. 35 – Na jogada a ponto ocorrem os desvios da bocha e estas devem ser medidas com os dispositivos apropriados para esse fim. Neste artigo seguem abaixo as alíneas “a”, “b” e “c”. A regra do oposta que consta na regra oficial não é aplicada ao campeonato.  

a) Choque Direto: 

1) A bocha jogada a ponto que se chocar contra qualquer outra ou contra o bolim, desviando em linha reta qualquer um dos dois em uma extensão superior a 70cm, será anulada e a bocha e/ou bolim deslocados serão recolocados no seu lugar de origem, salvo no caso da aplicação da regra da vantagem.

2) No caso da jogada ser aceita pela equipe adversária, marcam-se as bochas onde pararam.

3) Se a jogada não for aceita pela equipe adversária, a bocha infratora será anulada e as deslocadas voltarão às suas marcas.

4) No caso de ser a primeira bocha jogada e/ou deslocamento for do bolim (mais de 70cm), queima a bola e a equipe joga outra bola na sequencia.  

b)Choque em Cadeia:

A bocha jogada que se chocar a outra e provocar o arrasto de uma terceira bocha ou do bolim’’ a uma extensão superior a 70cm, será anulada e as bochas deslocadas serão recolocadas no lugar de origem, salvo no caso da aplicação da lei da vantagem, quando as bochas, o bolim ou ambos serão marcados onde pararam.

c) Desvio sem consequência:

A bocha jogada que venha a deslocar uma ou mais bochas, sem implicar em arrasto, ou seja, distância inferior a 70cm, é considerada válida, ficando todas as bochas nos lugares onde se detiverem.

Art. 36. JOGADA DE RAFA

a) A jogada consiste em atingir, com ou sem o auxílio do terreno/piso, uma determinada bocha ou o bolim.

b) A bocha jogada será válida se o jogador declarar ao árbitro o objeto que pretende atingir (bocha ou bolim) e lançar a bocha de forma regular.

c) Após o lançamento da bocha o jogador em ação poderá ultrapassar a linha dos 4,0 metros. Se o jogador ultrapassar a linha dos 4,0 metros antes de ter efetuado o lançamento da bocha, a  jogada será irregular, podendo-se aplicar a regra da vantagem ( ver Art. 30, item “b”).

d) A jogada de rafa será considerada regular/válida quando:

1) A bola tocar/picar o terreno/piso além a linha dos 6,0 metros. Se a bocha atingir esta linha ou picar antes da mesma, será considerada irregular, podendo-se aplicar a regra da vantagem. (Não será cobrado/ Acordado no Congresso Técnico).

2) Na zona entre o meio da cancha e a linha dos 6,0 metros oposta, atingir somente a bocha situada a 13cm ou menos (< =) do bolim. O árbitro deve indicar, antes de autorizar o lançamento, quais as bochas que se encontram nessa situação.

3) For realizada após a linha dos 6,0 metros oposta, sendo considerada jogada de rafa “livre”. Caso atinja outro objeto (bocha ou bolim) situado 13 cm ou menos (< =) do objeto declarado a jogada também será válida. Atingindo outro objeto (bocha ou bolim) com medida superior de 13 cm não é válida. O árbitro deve indicar, antes de autorizar o lançamento, quais os objetos( bocha ou bolim) que se encontram nessa situação.

e) É permitido rafar o bolim situado(a) após a linha do meio da cancha.

f) A bocha lançada que não atingir o objeto declarado, ou atingi-lo de forma irregular, será aplicada a regra da vantagem.

g) Toda jogada de rafa que não atingir qualquer objeto (bochas ou bolim) e tocar diretamente a cabeceira (fundo) será anulada, não se aplicando a regra da vantagem.

h) Toda bocha que for atingida por efeito de uma jogada de rafa, assim como as bochas deslocadas e a bocha lançada que tocarem a cabeceira e retornarem, deslocando ou não bochas ou bolim, marcam-se onde pararem, valendo todos os seus efeitos, salvo se ultrapassarem a linha do meio da cancha.

Art. 37. JOGADA DE TIRO (BOCHADA)

a) A jogada de tiro consiste em atingir diretamente, ou com o auxílio de uma porção delimitada do terreno, uma bocha adversária ou própria ou o bolim, declarada previamente ao árbitro.

b) Para que a jogada seja válida, o jogador deve declarar ao árbitro o objeto que se propõe a atingir (bocha ou bolim).

c) É proibido atirar (bochada) em sua própria bocha antes da linha do meio da cancha, salvo quando esta estiver dentro do limite de distância de 13 cm da bocha do adversário. Já a bocha do adversário, pode ser atirada em qualquer lugar da cancha.

d) Antes de efetuar a jogada de tiro o jogador deve aguardar até o árbitro traçar um arco de 40 cm da bocha declarada, devendo ainda aguardar a autorização para o lançamento da bocha, de outro modo, a jogada será declarada irregular e as bochas desviadas serão recolocadas no seu lugar de origem, salvo no caso da aplicação da regra da vantagem.

e) Após o lançamento da bocha, o jogador em ação pode ultrapassar a linha dos 6,0 metros. Se o jogador ultrapassar estas linhas antes do lançamento da bocha, a jogada será declarada irregular e as bochas deslocadas voltarão às suas marcas de origem, salvo no caso da aplicação da regra da vantagem.

f) Na jogada de tiro (bochada) pode-se atingir os objetos que estiverem a uma distância menor ou igual a 13cm (< =) do objeto declarado, sempre que o pique da bocha estiver dentro da distância de 40cm (usando como referência a distância entre elas).

g) Toda bocha que for atingida por efeito de uma jogada de tiro, assim como as bochas deslocadas e a bocha lançada que tocarem a cabeceira e voltarem, deslocando ou não, bochas ou bolim, marcam-se onde pararem, valendo todos os seus efeitos, salvo se ultrapassarem a linha de meio da cancha (a bocha é queimada).

h) Toda bocha atirada (bochada) que não atingir qualquer objeto (bochas ou bolim) e tocar diretamente a cabeceira (fundo) será anulada, não se aplicando a regra da vantagem.

Art. 38 – A equipe ao terminar sua jogada (bola), pode solicitar a medição dos pontos uma vez, em caso de dúvida, duas vezes. Somente os capitães das equipes poderão estar presentes na medição.

Art. 39 - O atleta poderá sair da cancha somente com a autorização do árbitro. Sendo este jogador o capitão, o mesmo deverá designar outro atleta para ser capitão durante sua ausência. Não será permitida a saída dos 04(quatro) jogadores que estiverem na vez de jogar. Faz parte deste artigo o jogador que após uma decisão arbitral ou após discussão com outros jogadores em cancha, abandonar a cancha de jogo.

§ 1º - Na infração ao artigo ocorrem as seguintes penalidades: 1) a equipe infratora será penalizada com a perda do ponto (01 ponto) válido na partida em favor da equipe adversária. 2) O placar anotado será de 24 x 00 para a equipe regular. 3) O atleta poderá ser suspenso de 1(uma) a 6 (seis) partidas.

Art. 40 - Os atletas titulares e os reservas (quando há substituição) ao entrar na cancha não poderão consumir bebida alcoólica e ou fumar dentro da cancha durante o seu jogo.

Parágrafo Único: O atleta infrator será advertido verbalmente pelo árbitro na primeira vez, por intermédio do seu capitão. Em caso de reincidência o mesmo deverá ser substituído. Caso a equipe já tenha realizado suas substituições, a mesma será punida com a perda da partida. O placar anotado será de 24 x 00 para a equipe adversária.

Art. 41 – Durante a realização da partida todos os jogadores atuantes no jogo são considerados no regulamento como iguais e passíveis as penalidades/punições nele previstas. Portanto jogador que sair da partida sem a devida autorização conforme o artigo anterior, por motivos diversos/extra-cancha, incluindo-se especialmente o dono do estabelecimento, será enquadrado e punido igualmente conforme consta acima.

SISTEMA DE DISPUTA E CLASSIFICAÇÃO:

Art. 42 – No sistema de disputa as equipes serão sorteadas e divididas de acordo com o número de inscritos:

a) Até 10 equipes: Chave Única – Rodízio entre si classificando-se as quatro primeiras equipes para a fase final. Serão sorteados no início da rodada final, com a presença dos capitães, os confrontos da semifinal. Perdedores disputam 3º e 4º e Vencedores disputam 1º e 2º colocados.

b) Acima de 10 equipes: Divisão em chaves – A divisão e o sorteio serão estipulados e decididos de acordo com a coordenação do evento, prevendo o tempo disponível e custos. Confirmado fica o apontamento de cabeças de chave, de acordo com o índice do ano anterior e o sorteio na fase final.

Art. 43 - A classificação das equipes será por pontos ganhos, adotando-se o seguinte critério:

a) Vitória:................ 1 (um) ponto.

b) Derrota:............... 0 (zero) ponto.

Art. 44 - Ocorrendo o empate na classificação, em chave única ou grupo, empregar-se-ão os seguintes critérios:

a) Entre Duas Equipes

1- confronto direto;

2- maior número de pontos marcados nas partidas perdidas

3- menor número de pontos sofridos;

4- maior número de pontos marcados;

5- saldo de pontos;

6- sorteio.

 

b) Entre Três ou Mais Equipes:

1- maior número de pontos marcados nas partidas perdidas

2- menor número de pontos sofridos;

3- maior número de pontos marcados;

4- saldo de pontos;

5- sorteio.

DA DISCIPLINA:

Art. 45 – A equipe que utilizar atleta irregular em qualquer partida válida pelo Campeonato Municipal de Bocha para Casais, independente dos demais sansões, será penalizada com a perda do ponto (01 ponto) obtido nesta partida. O ponto válido desta partida será revertido em favor da equipe adversária. Neste caso a equipe que se apresentou legalmente recebe o placar de 24 x 00 ou vencendo o jogo, será mantido o placar da partida. Para fins de classificação das equipes no caso acima o resultado segue o mesmo critério.

§ 1º - A irregularidade do atleta configurar-se-á na hipótese de: a) Inexistência de inscrição ou falta de inscrição; b) Participar da partida quando sujeito ao cumprimento de penalidade administrativa prevista em Regulamento ou aplicação pela Comissão Disciplinar; c) Praticar irregularidades tipificadas como infrações às regras da  Bocha ou documentos que regem o evento (Regulamento, Notas Oficiais, Comunicados, outros).

§ 2º - O Atleta Irregular com base no Art.8º (referente aos critérios de participação) será penalizado com a Suspensão de setecentos e vinte (720) dias em participar das atividades/eventos promovidas pela Diretoria de Esportes de Schroeder.

DOS PROTESTOS, REVISÃO e ou RECURSOS.

Art. 46 – O pedido de Protesto, Revisão e ou Recurso deverá ser encaminhado por escrito em folha datilografada/digitada, conforme modelo disponível em anexo ao regulamento, em 02(duas) vias e assinada pelo representante legal da equipe e protocolado na Diretoria de Esportes da Secretaria de Educação, Cultura, Esportes e Lazer do município, situada à Rua: Marechal Castelo Branco, nº. 3201, Centro, Schroeder (SC), até às 10(dez) horas do primeiro dia útil, após a realização do respectivo jogo ou processo de julgamento.

§ 1º- O protesto, revisão ou recurso deverá ser dirigido a Diretoria de Esportes com o recolhimento da taxa processual, no valor de R$ 400,00 (quatrocentos reais). Caso o julgamento do caso seja procedente, o valor será integralmente devolvido.

§ 2º - No corpo do documento deverá constar:

I - Identificação completa da equipe recorrente e de seu representante junto ao evento, com endereço, CPF, RG e telefone de contato;

II - Descrição do fato que será objeto de análise em sede revisional/recursal, com a respectiva identificação dos autores ou participantes, inclusive identificando a equipe à qual pertencem se for o caso;

III - As provas com as quais pretende confirmar os fatos alegados em sede revisional/recursal.

§ 3º - A Diretoria de Esportes deverá, em caráter inicial, analisar o enquadramento do fato/transgressão às regras do evento, decidindo sumariamente pelo prosseguimento ou não da revisão/recurso, de acordo com o enquadramento do mesmo às normas do evento.

§ 4º - Caso a Diretoria de Esportes decida pelo não prosseguimento da revisão/recurso, por não constatar violação às normas do evento, caberá recurso de tal decisão à Comissão Disciplinar de Esportes, que poderá reformar a decisão da Diretoria, caso entenda pela procedência da revisão/recurso.

§ 5º-Não serão aceitos protestos, revisão ou recurso com relação às decisões de âmbito exclusivo da coordenação do evento (Diretoria de Esportes), desde que comunicadas oficialmente, bem como referente aos uniformes; caso a arbitragem atribua aos mesmos condições de jogo.

§ 6º-Em todo pedido de protesto, revisão ou recurso concede-se o direito ao contraditório e ampla defesa.

Art. 47 - Nos casos de protesto com base no Art.8º (referente aos critérios de participação) a Diretoria de Esportes / Comissão Disciplinar procede com ações complementares ao processo, denominado de Defesa Prévia. A Diretoria de Esportes encaminha até as 10hs do dia posterior do protesto, para que a equipe citada encaminhe sua DEFESA Prévia (por escrito, juntamente com as provas) até as 17hs do 3º dia útil. No caso de domicílio civil (residência), apresentação de comprovantes autênticos.

Este procedimento segue os moldes do Art. 39 deste regulamento. Após este procedimento, a sequência dos encaminhamentos será no mesmo padrão dos demais processos disciplinares. No ato do julgamento perante a Comissão Disciplinar todos os envolvidos são citados e deverão estar presentes e/ou representados.

DA COMISSÃO DISCIPLINAR:

Art. 48 - Todas as pessoas físicas ou jurídicas vinculadas ao evento, em especial as equipes participantes, desde já indicam e reconhecem a Comissão Disciplinar de Esportes e Eventos como única e definitiva instância para resolver as questões que surjam entre elas ou entre elas e a Diretoria de Esportes, desistindo ou renunciando, expressamente assim, de valer-se da Justiça Comum para esses fins. A Comissão Disciplinar é composta por membros da comunidade e instituída por intermédio de portaria municipal.

Art. 49 - A justiça e disciplina do Campeonato serão exercidas pela Comissão Disciplinar de Esportes, cabendo à Diretoria de Esportes (coordenadora do evento) realizar as atribuições administrativas concernentes à aplicação deste Regulamento, baseando-se ambas, primeiramente, no mesmo, mas também no Código Brasileiro de Justiça Desportiva, no Regulamento do Complexo Esportivo e Demais Centros/Locais Esportivos, e nas demais regulamentações emanadas pelos referidos órgãos, para efetuar a resolução dos processos:

Art. 50 - A Diretoria de Esportes e a Comissão Disciplinar, no uso de suas funções, possui poder em suspender sumariamente por tempo indeterminado, qualquer membro inscrito na Ficha de Inscrição, de participar do(s) evento(s) promovido(s) pela Diretoria de Esportes, a fim de viabilizar o(s) processos(s) de julgamento(s) e após proferir o resultado final. Esta suspensão dar-se-á por fato/atitude ocorrido(s) no Complexo Esportivo Municipal. A Diretoria de Esportes poderá aplicar punições administrativas, salvo sempre o contraditório e ampla defesa.

Art. 51 - A Comissão Disciplinar de Esportes e Eventos terá competência para exercer as suas atividades judiciais, penalizando o infrator de quinze (15) a setecentos e vinte (720) dias de suspensão em participar das atividades promovidas pela Diretoria de Esportes de Schroeder, em face de qualquer fato que possa ser enquadrado como violações aos dispositivos legais reguladores do Evento, ocorridos no Complexo Esportivo Municipal e Demais Centros/Locais Esportivos.

§ 1º - Na ocorrência de tumulto generalizado em uma partida e/ou no local de realização das rodadas/jogos, com a participação de atletas, dirigentes e torcida, ocasionando agressões, a equipe e ou os causadores que deram causa ao tumulto a penalidade será a suspensão de quinze (15) a setecentos e vinte (720) dias em participar das atividades promovidas pela Diretoria de Esportes de Schroeder.

§ 2º – Na ocorrência de agressão física, contra a equipe de arbitragem, membros da Comissão Organizadora/Diretoria de Esportes, da Comissão Disciplinar, equipe adversária, ou mesmo dentro da própria equipe o membro da equipe (atleta/comissão técnica) inscrito, a penalidade será a eliminação sumária do evento e a suspensão de quinze (15) a setecentos e vinte (720) dias em participar das atividades promovidas pela Diretoria de Esportes de Schroeder.

§ 3º - No caso da ocorrência de agressão moral, contra a equipe de arbitragem, membros da Comissão Organizadora/Diretoria de Esportes, da Comissão Disciplinar, equipe adversária, ou mesmo dentro da própria equipe o membro da equipe (atleta/comissão técnica) inscrito, a penalidade será a eliminação sumária do evento e a suspensão de quinze (15) a trezentos e sessenta e cinco (365) dias em participar das atividades promovidas pela Diretoria de Esportes de Schroeder.

Art. 52 - Nas rodadas/ jogos realizados fora da Administração Municipal, a Diretoria de Esporte e Lazer juntamente com a Comissão Disciplinar estende o regulamento do Complexo Esportivo Municipal e Demais Centros/Locais Esportivos para estes locais, possuindo o mesmo, o poder de regulamentar todas as ações ocorridas nestes espaços. Fica reservado o direito à coordenação de viabilizar ou não a realização do evento nas demais canchas de bocha, ou seja, se qualquer cancha não oferecer as condições mínimas para realização de jogos, a mesma será considerado sem condições (interditado) e a rodada transferida.

DISPOSIÇÕES GERAIS:

Art. 53- A torcida deve ficar afastada no mínimo dois (02) metros do jogador que jogará, não sendo tolerado bater garrafas ou latas na lateral da cancha.

Parágrafo Único: Na infração ao artigo, inicialmente o infrator será advertido verbalmente. Em caso de reincidência a coordenação solicitará para que o mesmo se retire do local.

Art. 54 - A Comissão Técnica da Diretoria de Esportes e Lazer adotará os seguintes critérios quando o Regulamento ou as Regras Oficiais da modalidade for omisso:

01 - Quando a interrupção for por fatores extra-cancha:

a) até 1 hora a partida será reiniciada no mesmo local com o mesmo placar e tempo de jogo;

b) mais de 1 hora será anulada, cabendo a Coordenação do Evento, determinar novos horários e locais, mantendo-se o mesmo placar e tempo de jogo.

c)Todas as rodadas/ jogos deverão ser executados, conforme ordem apresentada em tabela, terminando-se todos os jogos antes do início da próxima. Quando uma interrupção provoca alteração de rodada(s), a mesma será transferida completamente para o final da fase à qual se encontra.

d) A Coordenação do Evento no uso de suas atribuições poderá intervir nos critérios acima citados a fim de resolver questões que possam interferir no andamento do Campeonato e para tanto possui total autonomia em tomar decisões e estas deverão ser acatadas pelos envolvidos.  

02 - Quanto ao desempate entre três ou mais equipes na fase:

a) serão observados os critérios sempre em sequência, não podendo mudar de item.

03 - Quanto aos Critérios Técnicos:

a) Cada fase é considerada uma nova competição, não sendo levados em consideração os resultados dos grupos ou fases anteriores.

04 - Quanto ao W x O:

a) 10 minutos de tolerância começando a contar a partir da assinatura do técnico/capitão da equipe presente. De acordo com este regulamento, somente haverá tolerância de 10 minutos para o 1º jogo da rodada e as partidas subsequentes serão de acordo com a tabela e iniciadas cinco (05) minutos após o término da anterior.

05 - Deverá ser retirado imediatamente do jogo, todo atleta que sofrer acidente sangramento, não podendo retornar até que seja estancado, devendo inclusive mudar o uniforme, se necessário.

06- Compete exclusivamente ao árbitro paralisar a partida e fazer cumprir o que determina o Regulamento/ Regra.

Suas decisões deverão ser acatadas não cabendo protesto, revisão e ou recursos. 

Art. 55 – O Município de Schroeder, bem como a Diretoria de Esportes não se responsabiliza por qualquer evento danoso que possa ocorrer durante os jogos/rodadas oficiais ou em decorrência destes, quando realizado nas dependências de particulares.

Art. 56 – O Município de Schroeder / Diretoria de Esportes, situada Rua Marechal Castelo Branco, 3201 – Centro, inscrita no CNPJ sob o nº 83.102.491/0001–09, no uso de suas atribuições informa que todo e qualquer material coletado em seus eventos, poderá ser usado em campanhas promocionais e institucional do Município de Schroeder / Diretoria de Esportes [regulamentos, folder de apresentação; anúncios em revistas e jornais em geral; home page; cartazes; back–light; mídia eletrônica (painéis, vídeo-tapes, televisão, cinema, programa para rádio, entre outros)], sem que estes gere ônus para a instituição ou outro órgão público.

PREMIAÇÃO:

Art. 57 - Será conferida a seguinte premiação: (Já descontado a retenção do IR)

· Campeão: Aproximadamente R$ 715,00 (Setecentos e quinze reais) + 01 troféu e 04 medalhas douradas.

· Vice-campeão: Aproximadamente R$ 430,00 (Quatrocentos e trinta reais) + 01 troféu e 04 medalhas de cor prata.

· 3º Lugar: Aproximadamente R$ 286,00 (Duzentos e oitenta e seis reais) + 01 troféu e 04 medalhas de cor bronze.

· 4º Lugar: Aproximadamente R$ 143,00 (Cento e quarenta e três reais) +01 troféu  e 04 medalhas de cor bronze.

 

Art. 58 - Demais deliberações do Campeonato Municipal de Bocha, serão oficializadas e integrarão este regulamento: Ex: Decisões do Congresso Técnico, Tabela de Jogos, Resoluções, Notas, Comunicados, Atas e Outros.

Art. 59 - Os Fatos Omissos neste regulamento serão decididos pela Diretoria de Esportes de Schroeder. Suas decisões deverão ser acatadas não cabendo recursos.

Art. 60 - Este regulamento é aprovado pelos representantes das equipes e entra em vigor a partir da Data do Congresso Técnico. Em caso de dúvidas, entrar em contato nos telefones: 3374 6581/3374 6582

 

Schroeder/SC, Setembro de 2022.

 

 

Diretoria de Esportes e Lazer



Esporte Schroeder
Endereço: Marechal Castelo Branco, 3201 - Centro - Schroeder - SC
Telefone: (47) 3374-6582
E-mail: